sexta-feira, 19 de julho de 2019

E SE NÃO HOUVER O AMANHÃ?


Quando começo a analisar a postura, as ações, as ideias, os planos das pessoas, de um modo geral, tanto em relação à vida social e familiar quanto em seus trabalhos, sempre me vem à cabeça esta pergunta: e se não houver o amanhã?



Como sabemos, o que realmente existe é somente o presente, o agora.  O passado se foi e não tem como voltar. O futuro ainda acontecerá e ninguém pode afirmar que de fato existirá.

O futuro está atrelado em probabilidades com inúmeras variáveis e somente isto, porém, muito complexo.


Observo, de forma natural e lógica, as pessoas estudando, trabalhando, fazendo de tudo para suprir suas necessidades e realizar seus sonhos. Obviamente, acontece o mesmo com as empresas, pois elas são compostas por pessoas, pelo menos enquanto os robôs com suas Inteligências Artificiais não dominarem totalmente alguns negócios.


Entretanto, quando começo gradativamente a olhar o todo, entrelaçando as situações complexas que nos unem uns aos outros (mesmo que alguns neguem ou não consigam enxergar esta relação, isto é fato), fica evidente que temos muito mais problemas para resolver e muitos são indiscutivelmente inevitáveis e vitais para nossa simples sobrevivência.

Vejamos alguns exemplos bem fáceis de notar: 


  • Quem não conhece alguém que diz que é prisioneiro de sua própria casa por causa de tanto sistema de segurança (grades nas janelas, muros altos, alarmes, câmeras de monitoramento, vigias, ...), que se vê obrigado a ter para se sentir um pouco mais protegido?
  • Quantos que colocam película escura nos vidros de seus carros para prejudicar a visão de quem está do lado de fora?        
  • Qual a razão de tantos carros particulares serem blindados? Quando eu era criança, lembro-me que isto era somente em países que viviam em guerra e eram carros usados por pessoas muito ricas e importantes (políticos, artistas,...). Aqui no Brasil, eu só sabia dos carros que transportavam valores.         
  • Quantas pessoas já perderam bens materiais, entes queridos e até mesmo suas vidas por causa da violência que nos rodeia ininterruptamente?   
  • Poluição de diversos tipos presente no ar, terra, água e até em torno da Terra, fora da nossa atmosfera.
  • Aquecimento global.
  • Extinção de espécies da fauna e flora comprometendo diretamente a continuidade da vida humana.
  • Guerras e conflitos em andamento ou iminente e suas consequências.
  • Alterações e riscos reais no Sistema Solar, do qual a Terra faz parte

Em uma questão de milésimo de segundo, tudo pode acabar. Não adianta tapar o sol com a peneira. É como nadar, nadar e nadar e morrer na praia. Os riscos são reais. Os problemas estão a nossa volta e não desaparecerão com o nosso fechar de olhos. Ignorá-los só faz com que eles aumentem e se agravem cada vez mais e todos nós, sem exceção, já estamos sendo atingidos.



Então, o que fazer para tornar mais consistente e real a probabilidade de termos um amanhã? Bem, eu não tenho receio de falar que a principal atitude para isto acontecer é através de ações efetivas de cultura (conhecimento, conscientização, respeito, cidadania, dignidade, acessibilidade, espiritualidade, ...).



Alguns exemplos de soluções de problemas, através da cultura:

Eu acredito no mundo e quero que seja o melhor para todos nós. Estamos todos juntos nesta “nave” chamada Terra. Nela é onde vivemos. Não temos outro lugar. 




(11) 98434-6128 (WhatsApp)